Zeca Pagodinho é absolvido por superfaturamento de show

Zeca Pagodinho | Foto: Reprodução

Em dezembro de 2015, Zeca Pagodinho foi condenado pelo
Tribunal de Justiça do Distrito Federal a três anos de prisão, em regime
aberto, por suspeita defraude em contratos de shows na 15ª Expoagro e no
aniversário de Brasília, ambas realizadas em 2008.  A pena de três anos de
prisão, segundo informou na época o Ministério Público, foi convertida em
prestação de serviços à comunidade. Naquele ano, a conclusão do Ministério
Público foi de houve superfaturamento nas contratações dos dois shows pela
extinta Empresa Brasiliense de Turismo (Brasiliatur). Na Expoagro, apenas o
pagamento do cachê de Zeca Pagodinho custou R$ 170 mil, enquanto que em
apresentações realizadas meses antes foram gastos R$ 200 mil com cachê e outros
serviços. No show do aniversário de Brasília, foi pago o valor de R$ 120 mil
por 45 minutos de apresentação. Quantia semelhante foi paga para uma
apresentação de uma hora e meia.

A 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito
Federal absolveu, nesta quinta-feira, dia 3, o cantor as acusações de fraude e
licitação.

Segundo comunicado dos advogados Bernardo Botelho Pereira de
Vasconcelos
e Paulo Suzano, enviado pela assessoria de imprensa do artista, o
TJDF reconheceu que não houve superfaturamento na contratação do Show realizado
por Zeca na cidade de Brasília no ano de 2008. Reconheceu, ainda, que a
contratação se deu na forma da Lei, e que não houve ato ou conduta criminosa a
ser imputada ao Artista, que tão somente cumpriu com o que havia sido pactuado.

Deixe uma resposta