Retrato Rio Teste Topo
28/04/2017

Funarte relança Projeto Pixinguinha

Com novo formato, para alcançar 60 cidades das cinco regiões do país, programa foi apresentado no dia 26 de abril, com presença de nomes consagrados da música, no Teatro Dulcina

Zezé Motta | Foto: Diego Mendes

A Fundação Nacional de Artes – Funarte e o Ministério da Cultura apresentaram, no dia 26 de abril, quarta-feira, o novo Projeto Pixinguinha. O anúncio foi realizado no Teatro Dulcina – espaço da entidade no Rio de Janeiro –, com apresentação, para convidados, de Moraes Moreira e o grupo A Cor do Som, entre outras atrações a noite rememorou o show histórico que os dois fizeram, em 1978, pelo Projeto, que marca os 40 anos da iniciativa da Funarte.

O evento teve um emocionante tom de tributo aos 120 anos do nascimento de Pixinguinha. Karen Mesquita e Cícero Gomes – do corpo de primeiros bailarinos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, realizaram uma coreografia, ao som de Carinhoso, criada especialmente por Regina Sauer para a mais famosa obra do homenageado – composta entre 1916 e 1917, com letra de Braguinha – . A atriz e cantora Zezé Motta,condutora da cerimônia, apresentou a nova versão do projeto. Ela abriu a programação homenageando todos os artistas, na pessoa de Pixinguinha: “Alfredo da Rocha Vianna Filho… Mestre no maxixe, no samba, na valsa e no choro! Santo Pixinguinha, das magias do sax e da flauta…”, lembrou. “Quarenta anos do Pixinguinha! Que projeto maravilhoso… “Tenho certeza que estamos todos muito emocionados com a volta deste projeto, que revelou tantos talentos… Hoje a Funarte o faz renascer, numa nova fase, a percorrer o Brasil… Com músicos de todas as regiões…”, disse Zezé Motta.

Entre os presentes estavam ainda: Jaluza Barcellos, Mariane de Castro, Antônio Pitanga, Toninho Gerais, Haroldo Costa e Nilze Carvalho, entre outros artistas, professores e pesquisadores de música, numa platéia repleta.

A atriz explicou que a programação de espetáculos do novo formato ocorrerá entre os meses de maio e novembro de 2017. E que serão, no total, 60 espetáculos, distribuídos por 60 cidades das cinco regiões do país, realizados por 15 duplas de artistas. “Elas vão reunir um músico renomado e um mais novo – este associado à região onde os espetáculos vão acontecer – . Cada dupla apresentará quatro espetáculos, em quatro cidades, em uma região determinada. Os artistas serão selecionados por uma comissão de curadoria”, anunciou Zezé Motta – que também cantou músicas como Minha missão, de Mariene de Castro.

Todos os integrantes a comissão de curadoria estavam presentes na plateia. Vindos de vários estados, eles vieram ao Rio para a primeira reunião do grupo, na sede da Funarte, com o diretor do Centro da Música da casa (setor responsável pelo projeto), o gestor cultural, músico e produtor Marcos Souza

O projeto Pixinguinha foi lançado em 1977, mesmo ano de fundação da Funarte, inspirado na série de shows Seis e Meia (que, desde 1976 lotava o Teatro João Caetano, no Centro do Rio de Janeiro, com espetáculos às 18h30 e ingressos a preços populares). Por meio da iniciativa, diversas cidades brasileiras puderam assistir a grandes artistas da música popular, como os veteranos Cartola, Jackson do Pandeiro e Marlene, os então iniciantes Marina Lima, Djavan e Zizi Possi e ainda Edu Lobo, João Bosco, Nara Leão, Paulinho da Viola, Alceu Valença e muitos outros.








STES shop2gether
RODAPE SITE1

© Retrato Rio. Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Rique Botelho